FabLab Lisboa: registos das visitas de estudo | Novembro 2014

Viva, aqui fica o link para o artigo no site do FabLab Lisboa com a reportagem fotográfica das visitas de estudo nos dias 13 e 18 de Novembro – para recordarem e para voltarem em qualquer dia aberto – fica a sugestão para vos ajudar a concretizar os protótipos dos vossos projectos.

Um agradecimento muito especial ao Bernardo Gaeiras e ao Rafael Calado, que nos proporcionaram esta experiência e também à Ary e ao Francisco, os colaboradores que nos ajudaram a explorar os recursos já nesta visita!


Desta vez o tempo não permitiu que conhecessemos também as áreas da Maria Boavida do projecto de upcycling e do Sr. Guilherme da caixotaria Duran, mas ficam alguns registos no final e os do ano passado para conhecerem – mas o melhor mesmo é lá passar para conhecer :)

Anúncios

PESQUISA sobre o Conceito

collage

Desde a era primitiva que o Homem brinca com sombras, colocando-se entre a parede rugosa da gruta e o fogo. Nascem, com este incidente, os primórdios da animação e são os países orientais que o adaptam a uma tela lisa com bonecos sobrepostos à luz. Apesar de viajarem, intactas, por tantos séculos até aos dias de hoje, as chamadas Sombras Chinesas ainda são frequentemente aplicadas nos métodos utilizados para comunicar, como, por exemplo, é possível constatar numa das publicidades da Volkswagen.

E não é necessário abandonar a era contemporânea para assistir a uma outra demonstração desta técnica, agora aplicada por Chris Milk, um produtor musical que utiliza tecnologia multimédia, na sua instalação The Treachery of Santuary. Esta obra, exibida pela primeira vez em 2012, espelha o ciclo da vida através das etapas como o nascimento, a morte e a transformação. O modo como a sombra do corpo humano é transfigurada para pássaros, ou para asas, poderá constitui um dos métodos inspiradores para realizar o projecto de sensibilização à proteção de animais.

Noutro plano, George Colbert, fascina o mundo com o extraordinário projecto Ashes and Snow, um trabalho que visa a relembrar os observadores de que o destino da Natureza e do mundo animal está linearmente relacionado ao da humanidade. É importante sensibilizar; inspirar o Homem a manter o seu contacto próximo à Natureza. Tal como o artista refere “I think of my life’s work as a celebration of all of nature, an orchestra that plays not the sounds of one musician, the music of one species, but rather an expression of all of nature’s songs.”

52